Fale Conosco legendaPerguntas frequentes

Histórico

A ABIC nasceu num dos momentos mais críticos da indústria brasileira de café.

Fundada em 12 de março de 1973, a Associação Brasileira da Indústria de Café - ABIC -  representa as indústrias de torrefação e moagem de café de todo o país.

Criada por decisão de representantes dos Sindicatos das Indústrias de Café de diversos estados que viram na criação de uma entidade nacional a melhor forma de negociar com o governo o estabelecimento de políticas de real interesse do setor, a ABIC nasceu com a incumbência de iniciar um trabalho que interrompesse a queda vertiginosa do consumo de café ocorrida entre as décadas de 70 e 80.

O setor, que em 1965 industrializava 8,15 milhões de saca/ano, chegou a processar apenas 6,5 milhões de sacas em 1985. Nesse mesmo período, o consumo per capita caiu de 4,72 Kg/ano para 2,27 Kg/ano. Uma situação gerada por vários motivos, entre eles: interferência governamental, congelamento de preços e proliferação de empresas que adulteravam seus produtos, desvirtuando totalmente o mercado.

Em março de 1991, 180 dias após a sua promulgação, entrava em vigência o Código de Proteção e Defesa do Consumidor. Foi o primeiro estatuto do país a se preocupar em garantir a satisfação dos consumidores. Dois anos antes, interessada em elevar a qualidade do café consumido pelo povo brasileiro, a ABIC lançava o Programa de Autofiscalização da Indústria de Café, um projeto inédito e ousado, considerado um dos maiores sucessos dos últimos anos no setor de alimentos e bebidas, mais conhecido como Selo de Pureza ABIC.

A iniciativa obteve resultados significativos. Até 1986, o Brasil consumia 6,7 milhões de sacas de 60 Kg de café. Em 2004, o consumo subiu para 14,9 milhões de sacas. Atualmente o brasileiro consome mais do que duas vezes a bebida desde a implantação, em 1989, do Selo de Pureza ABIC.

O sucesso da atitude pioneira da ABIC chamou a atenção da Organização Internacional do Café - OIC, que vem utilizando o caso brasileiro como modelo para outros 60 países consumidores do produto. De acordo com o organismo, em nenhum outro país do mundo se verificou um aumento tão expressivo no consumo do café quanto no Brasil.

Atualmente, a ABIC TEM, aproximadamente, 500 empresas de torrefação e moagem de café de todo o território nacional. Constituída por um Conselho Deliberativo, um Conselho Consultivo e seis diretorias: Administração, Comunicação, Economia e Finanças, Marketing, Qualidade e Relações Institucionais, a ABIC funciona em sua sede própria no Rio de Janeiro, ocupando o 8º andar da rua Visconde de Inhaúma, nº 50, em uma área de 400 metros quadrados.

A entidade disponibiliza para seus associados um completo banco de dados com estudos macroeconômicos, pesquisas de opinião e de mercado, além de diagnósticos setoriais; orientação jurídica nas áreas fiscal, trabalhista, constitucional e de defesa do consumidor; detalhado cadastro de empresas, marcas e produtos; informações estatísticas de produção e consumo; assessoria financeira e empresarial e informações sobre o desenvolvimento tecnológico.

Em 2003, ano em que completou o seu 30º aniversário, a ABIC preparou-se para dar mais um salto, ao lançar um novo Programa de Qualidade. Esse programa, denominado Programa de Qualidade do  Café - PQC, permite ao consumidor identificar a qualidade do café adquirido.

Embora a ABIC tenha criado o PQC a Entidade não deixa de desenvolver o Programa do Selo de Pureza, que vem garantindo um café livre de impurezas desde 1989. O novo PQC é uma evolução do Programa e objetiva a qualidade sensorial do produto criando um padrão mínimo para aquisição dos grãos.

O grande desafio, hoje, é produzir mais e melhor com baixos custos, oferecendo aos clientes e consumidores produtos de qualidade a preços acessíveis, aumentando assim o consumo interno.


ABIC - Associação Brasileira da Indústria de Café

Rua Visconde de Inhaúma, 50 - 8º Andar - Centro - Rio de Janeiro, RJ - CEP 20091-007 - Tel +55 (21) 2206.6161 - Fax +55 (21) 2206.6155

Copyright © 2009 ABIC. Todos os direitos reservados. Reprodução autorizada desde que citada a fonte.