JE Online | 04/06/2018 17:05:48

Pesquisa encomendada pela Associação Brasileira de Cafés Especiais (BSCA) projeta crescimento de 19% no mercado de cafés gourmets no Brasil em 2018. Entre cafés em grãos, torrado, moído e em cápsulas, a BSCA espera vendas equivalentes a 705 mil sacas e movimento no varejo de R$ 2,6 bilhões, montante 23% maior do que em 2017.

O crescimento do mercado de café está sendo impulsionado pelos consumidores amantes de café que optam por produtos de maior qualidade, investindo inclusive em moedores, que passam a comprar o grão apenas torrado e a moê-lo no momento da preparação.

O estudo foi feito pela consultoria Euromonitor e aponta uma tendência de ascensão do consumo de café nos últimos anos. Segundo os dados levantados, o mercado totalizou 490 mil sacas vendidas em 2016, representando avanço de 25% em relação a 2015. Também naquele ano, o varejo movimentou cifras aproximadas de R$ 1,7 bilhão, quase 30% mais que em 2015.

Os números mostram crescimento também de 2016 para 2017. No último ano, a venda de sacas subiu 21%, alcançando 592 mil no Brasil. A receita no varejo chegou a R$ 2,1 bilhões, um avanço de 24% sobre 2016. Os números dos dois anos anteriores fundamentam a projeção tão positiva para 2018, conforme relatório da Euromonitor. Brasileiro está tomando mais café especial Entre as razões para o aumento em 2016 e 2017 e para o crescimento esperado em 2018 está o maior envolvimento do brasileiro com o café especial. A maior parte dos consumidores está consumindo o café especial em grãos, representando entre 40% e 50% do volume total de vendas. Esse tipo de cliente gosta da experiência de moer o próprio café em casa e está disposto a investir no maquinário para tal, como moedores. São coffee lovers. O que torna um café especial? O estudo encomendado pela BSCA considera café especial o produto com pontuação maior que 80 no índice de avaliação sensorial da Specialty Coffee Association (SCA), certificação de origem e sustentabilidade, rastreabilidade, 100% arábica – cultivado a pelo menos 800 metros acima do nível do mar – e preço premium. Em termos gerais, estas qualificações garantem um café com fragrância, uniformidade, ausência de defeitos, sabor, corpo, finalização e harmonia muito superiores aos café de grãos tradicionais.

A pesquisa também identificou um grande número de cafeterias gourmets no Brasil. Segundo o levantamento, há um número aproximado de 13 mil estabelecimentos que vendem café premium no país e a maioria deles se dedica mais à experiência de tomar café do que à simples venda de produtos. Esse tipo de cafeteria oferece cursos de métodos de preparo com variadas origens de café, além da presença constante de baristas profissionais.

As cafeterias que se destacam ainda mais são as que possuem torrador de café, tendo rota controle do processo de torra e de quão fresca é a torra. O café especial torrado exige uma torra fresca, já que com os dias há perdas de sabores e aromas com a oxidação.