CAFÉPOINT – 07/06/2018

As exportações de café hondurenho apresentaram uma queda de 15,5% em valor e 1% em volume nos primeiros oito meses da safra 2017/2018, em comparação com o mesmo período da temporada anterior.

Na temporada anterior, as vendas dos grãos ao exterior, dentro do período entre outubro de 2016 e maio de 2017, totalizaram US$ 973 milhões. Já entre outubro de 2017 e maio último, houve uma queda de 15,5%, chegando a US$ 822 milhões, segundo dados divulgados pelo Instituto Hondurenho do Café (Ihcafé).

Ainda de acordo com o Ihcafé, o volume de exportação deste grão no período de referência foi de 5,13 milhões de sacas de 60 quilos, ante 5,17 milhões de sacas do mesmo intervalo da safra anterior, o que representa 1% a menos.

O Instituto Hondurenho indicou que a receita da exportação de café diminuiu devido à queda do preço do grão no mercado internacional. Nos oito meses da safra atual, o preço da saca de café atingiu uma média de US$ 160,34, enquanto que no mesmo período da safra 2016/2017 foi cotado a US$ 188, o que representa uma redução de 14,7%.

Ele também observou que países como Alemanha, Bélgica, Estados Unidos e Itália são os principais mercados para os quais Honduras exportou café nos primeiros oito meses da safra atual, uma vez que essas nações compraram 74% do total de grãos vendidos. Por trás desses quatro países estavam localizados, nessa ordem, França, Reino Unido, Suécia, Coreia, Canadá e Colômbia.

Segundo estimativas do Instituto, Honduras espera exportar 6,9 milhões de sacas na safra atual e espera receber mais de US$ 1,5 bilhão.

De acordo com dados oficiais, na safra anterior, que começou em outubro de 2016 e terminou em setembro de 2017, o país centro-americano vendeu cerca de 7,3 milhões de sacas de café e obteve mais de US$ 1,3 bilhão de dólares.

A atividade cafeeira em Honduras está nas mãos de cerca de 100 mil pequenos produtores.

As informações são da EFE / Tradução Juliana Santin