CaféPoint | 13/11/2017 18:39:22

As compras dos Estados Unidos do café queniano aumentaram em 75%, para Sh7 bilhões (US$ 67,67 milhões) no atual exercício, ultrapassando a Alemanha e a Bélgica como o principal comprador. As estatísticas da Diretoria do Café colocam os EUA no topo, tanto em termos de preço oferecido por um quilo, quanto em quantidades compradas.

Os números indicam que os EUA compraram 8,9 milhões de quilos por Sh47.998 (US$ 466) por saca de 60 quilos. Em 2015/2016, Washington comprou 6,1 milhões de quilos por Sh39,552 (US$ 384) pela mesma quantidade.
A mudança ocorre quase cinco meses depois que o Quênia passou a enfatizar seu café especial durante o simpósio do café nos EUA, onde o país recebeu um “status de retrato” tornando-o o principal ponto de foco da exposição.
“Os EUA foram o mercado líder em 2016/2017 em vendas de café. Melhorias notáveis foram realizadas logo após abril de 2017 e sustentadas até o momento “, informou a diretoria.

Ultrapassou a Alemanha

Esta é a primeira vez que os Estados Unidos ultrapassaram a Alemanha nos últimos cinco anos. Em 2016, a Alemanha importou 8,1 milhões de quilos de café no valor de Sh4,3 bilhões (US$ 41,57 milhões).

Os Estados Unidos vêm comprando 7% da exportação anual do Quênia de 46 mil toneladas, mas pagando um preço superior em relação aos compradores dominantes anteriores.

Os compradores americanos atualmente pagam Sh500 (US$ 4,83) por quilo de café, em comparação com o Sh300 (US$ 2,9) da Alemanha pela mesma quantidade, segundo a diretoria.

A diretoria do Café exibiu o café especial no Quênia na reunião anual global de café que reuniu os principais interessados no setor em todo o mundo. O simpósio foi organizado pela Specialty Coffee Association of America em Seattle e é uma das maiores vias do mercado único, onde os produtores de café atendem compradores e consumidores da bebida.

A maioria do café do Quênia é exportada como grãos limpos e apenas 5% são torrados. O país, portanto, perde o valor agregado da venda de café torrado e embalado. Os torrefadores compram a produção do Quênia para misturar com outros.

O país procura aumentar a quantidade de café que é torrado localmente anualmente entre cinco e 10 por cento nos próximos cinco anos. Mas mesmo que o Quênia procure expandir seu mercado, a produtividade do café por arbusto caiu de 10 quilos nos anos 80 para os dois atuais e o governo está trazer os produtores de volta à produção.

*As informações são do Business Daily/ Tradução Juliana Santin