Scientific American Brasil

Há planos para transformar a borra de café, em geral descartada pelos consumidores, em biocombustível.

Pesquisadores da University of Nevada, Reno, descobriram que o café pode ser transformado em um combustível alternativo muito diferente da cafeína: o biodiesel. E todos poderão continuar a beber seu cafezinho várias vezes ao dia. De acordo com Mano Misra, pesquisador da universidade, não é necessário usar café novo para transformá-lo em combustível. O resíduo sólido do café usado (borra) é mais que suficiente.

Mesmo depois de submetido aos rigores do processamento, aproximadamente 15% do peso da borra seca do café é óleo que, a exemplo de similares, como o óleo de dendê, soja e mamona pode ser convertido em biodiesel. O café tem a vantagem de não ser uma fonte básica de alimentação, como os óleos de dendê e soja.

De acordo com o departamento de agricultura dos Estados Unidos, mais de 7,2 bilhões de toneladas anuais de café são produzidas em todo o mundo. Misra estima que a borra de café proveniente desse volume pode ser usada para gerar cerca de 340 milhões de galões de biodiesel. Os pesquisadores transformaram grãos e borra doados pela Starbucks em biodiesel, que tem a vantagem adicional de exalar um delicioso aroma de café fresco.

Os pesquisadores observaram que a alta proporção de anti-oxidantes contida no café, como o ácido clorogênico, por exemplo, age como um conservante natural para o biodiesel, evitando a deterioração como outras formas de combustíveis orgânicos e o próprio óleo diesel. Já existem planos para a criação de uma indústria-piloto para transformar borra de café em biodiesel ainda este ano e os pesquisadores calculam que, somente nos Estados Unidos, o Starbucks poderia ter um lucro de US$ 8 milhões anuais com o processo, partindo do princípio que o biodiesel e os resíduos incluídos no processo possam ser comercializados.

Agora, jogando um pouco água fria na fervura: o Departamento de Energia informa que os americanos consomem 40 bilhões de galões de diesel por ano, o que significa que transformar toda a borra de café produzida no mundo em biocombustível contribuiria com menos de 1% do consumo de americano.

Mas ainda assim, transformar borra de café em combustível não deixa de ser uma idéia inovadora.